Uncologia - Nutriservice

Dicas Nutricionais para Pacientes Oncológicos

s tratamentos utilizados para o câncer, como cirurgias, quimioterapia, radioterapia e outros, podem deixar o corpo enfraquecido e cansado, além de causar falta de apetite, perda de peso, náuseas e vômitos.

 

Uma alimentação adequada pode auxiliar a:

 

* Diminuir os efeitos colaterais do tratamento (quimio e radioterapia).

 

* Contribuir para o bem-estar do paciente.

 

* Melhorar o estado imunológico.

 

* Evitar a perda de peso.

 

* Diminuir o risco de complicações cirúrgicas.

 

Durante o tratamento, podem ocorrer:

 

FALTA DE APETITE

 

· Tente fazer refeições mais leves várias vezes ao dia (de 3 em 3 horas).

 

· Coma e beba bem devagar.

 

· Evite beber líquidos (principalmente com gás) junto com as refeições. Beba 30 minutos antes ou depois.

 

· Inclua alimentos coloridos e diversificados nas suas refeições.

 

· A consistência deve estar adequada ao seu paladar.

 

· Utilizar azeite, creme de leite, manteiga, leite em pó, farinhas e aveia para enriquecer os pratos, sopas, purês e vitaminas.

 

DORES NA BOCA E/OU GARGANTA

 

· Evite alimentos ácidos, picantes e muito condimentados.

 

· Não coma alimentos duros, de difícil mastigação ou muito quentes.

 

· Prefira purês, suflês, mingau, pudim e gelatina.

 

· Em casos mais graves, prefira alimentos líquidos ou liquidificados.

 

DIFICULDADE DE MASTIGAR E ENGOLIR

 

· Esta dificuldade pode ocorrer principalmente se o câncer for localizado na boca ou na garganta.

 

· A comida deve ser preparada na consistência que for melhor tolerada e pode variar entre branda, pastosa e líquida.

 

· Pequenos goles de água ou líquidos durante as refeições pode ajudar a engolir.

 

· Fazer pequenas refeições várias vezes ao dia.

 

· Caso a dificuldade seja muito grande, uma suplementação será necessária. Procure a orientação da nutricionista.

 

BOCA SECA

 

· Prepare a comida com molhos e caldos.

 

· Se não houver aftas, chupe balas, picolés ou use chicletes de menta que podem ajudar a produzir mais saliva.

 

ENJOOS E VÔMITOS

 

· Evite frituras e alimentos gordurosos.

 

· Não beba líquidos durante as refeições.

 

· Consuma picolés e sucos de frutas cítricas, como limão e abacaxi.

 

· Não fique muito tempo sem comer.

 

· Faça intervalos de 2 a 3 horas entre as refeições.Coma bem devagar e mastigue bem os alimentos.

 

· Escove os dentes e lave a boca com frequência.

 

DIARREIA

 

Caracterizada por mais de 3 evacuações líquidas por dia, podendo levar à perda de líquidos e desidratação.

 

· Beba muito líquido durante o dia.

 

· Alguns alimentos como banana, maçã, goiaba, batata, chuchu e cenoura cozidos, água de coco e suco de limão ajudam a controlar ou evitar a diarreia.

 

· Evitar frituras e gorduras em excesso, condimentos e temperos picantes, frutas como mamão, laranja e ameixa, alem do leite e seus derivados.

 

· Evite doces concentrados como goiabada, marmelada e chocolates.

 

FERIDAS QUE NÃO CICATRIZAM

 

Alguns nutrientes são muito importantes no processo de cicatrização:

 

Proteínas: essenciais para prevenir e combater as infecções e ajudar na cicatrização de feridas. Podem ser encontradas em leite e derivados, carnes, peixes, ovos, iogurtes, além de feijões, ervilha e lentilha.

 

Vitaminas A, C e do Complexo B: encontradas principalmente no fígado, na gema de ovo, na cenoura, em verduras verde-escuras, em frutas cítricas, como laranja, limão, maracujá e em aves, peixes e alimentos integrais.

 

Ferro, Zinco e Cobre: encontrados em miúdos, carne vermelha, fígado, peixes, gema de ovo, nozes, frutas secas, leite e derivados.

 

Caso haja problemas para se alimentar normalmente devido à falta de apetite, deve-se fazer algumas modificações na dieta, como o uso de suplementos fracionados durante o dia para melhorar o aporte de energia e nutrientes específicos, que são fundamentais para o tratamento do câncer. Siga as instruções da equipe de profissionais que cuidam de seu tratamento.

 

Fonte: Nutriservice

Dicas Nutricionais para Pacientes Idosos - Nutriservice

Dicas Nutricionais para Pacientes Idosos

A qualidade de vida dos idosos está relacionada à possibilidade de se cumprir funções diárias básicas adequadamente, se sentir bem e viver de forma independente.

 

O envelhecimento é caracterizado por uma série de modificações fisiológicas e psicológicas que estão relacionadas, por sua vez, com alterações no estado nutricional.

 

A boa alimentação é uma preocupação constante também para a terceira idade, pois uma série de fatores, que enumeramos a seguir, podem causar deficiências importantes para o organismo:

 

* Problemas odontológicos: falta dos dentes, próteses antigas e mal ajustadas e doenças da cavidade oral e das gengivas.

 

* Problemas de deglutição: com dificuldade para engolir alimentos mais sólidos, devido a patologias da garganta e do esôfago.

 

* Perda ou diminuição do paladar e do olfato (cheiro).

 

* Problemas psico-geriátricos: principalmente depressão, tristeza, desânimo, apatia e solidão.

 

* Medicações: Uso de muitas medicações que podem trazer muitos efeitos colaterais e perda de apetite, bem como problemas gástricos, como azia e a gastrite.

 

* Preparo das Refeições: Não ter quem prepare as refeições, levando o idoso a preferir alimentos de mais fácil preparo e consumo, na maioria ricos em calorias e açúcar, pobres em vitaminas e proteínas.

 

No idoso com demência, o ato de alimentar-se pode ser ainda mais complicado, pois pela confusão mental e pela dificuldade de realizar até as mais simples tarefas, como “fazer seu próprio prato” e levar o garfo à boca, podem gerar estresse, cansaço para ele e para seus cuidadores.

 

Acrescenta-se o fato de que, com o avanço da doença, o idoso tem cada vez mais dificuldade de mastigação e de deglutição de alimentos sólidos, o que pode provocar engasgos e tosse.

 

Assim, é importante o cuidador observar quando o idoso engasga ou tosse ao comer, pois poderá estar iniciando um quadro de disfagia (dificuldade de engolir), mais comum em fases mais tardias da doença de Alzheimer.

 

O controle do peso do idoso é importante e deve ser feito mensalmente. Na doença de Alzheimer e nas outras patologias que cursam com demência, em fases mais avançadas, os idosos podem apresentar perda de peso, lenta e gradual, mesmo com a dieta correta e adequada. Imagine com uma dieta errada e inadequada?

 

Portanto, todo o processo do ato da alimentação tem que ser bem planejado. A seguir, reunimos algumas dicas importantes e fáceis de aprender e aplicar, para facilitar a boa interação com o idoso.

 

ALGUMAS DICAS e RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS

 

A alimentação deve ser adequada e completa para atender às necessidades nutricionais;

 

Fazer de 5-6 refeições/dia de pequenos volumes, porém mais concentrada em calorias e nutrientes e bem diversificadas, para assegurar todo o aporte de vitaminas e sais minerais;

 

Cuidar da apresentação dos pratos e estimular a experimentação de novos sabores e sensações;

 

É primordial manter uma boa higiene bucal, cuidar da hidratação e da umidade da mucosa bucal e da língua;

 

Manter uma rotina e uma regularidade nos horários das refeições para minimizar as possíveis distrações (não ligar a televisão durante as refeições);

 

Utilizar utensílios adequados, como pratos que se fixem na mesa (com ventosas) e talheres de plásticos para evitar a autolesão;

 

Durante as refeições, o paciente deverá estar sentado com a inclinação correta da cabeça para favorecer a deglutição;

 

Adaptar a consistência para melhor mastigação e deglutição e evitar grumos, espinhas e cascas duras para o paciente não engasgar;

 

Beber água suficiente, principalmente para evitar os engasgos. Evitar administrá-la no período da noite e, em caso de disfagia a líquidos, usar espessantes;

 

Se houver alterações na deglutição, deve-se modificar a consistência dos alimentos sólidos e líquidos, utilizando alimentos com textura modificada e/ou espessantes (não mesclar texturas diferentes);

 

Usar temperos naturais como alho, cebola, cebolinha, cheiro verde, salsa, orégano e outros, evitando, assim, o abuso do sal.

 

Como medida de prevenção da constipação, assegurar quantidade suficiente de água, exercícios físicos regulares e alimentos ricos em fibras ou suplementos;

 

Diante de uma perda de peso, utilizar suplementos nutricionais orais e se o aporte de nutrientes for insuficiente, será necessário utilizar purês enriquecidos;

 

Os alimentos devem estar sempre em temperatura adequada, visto que, em fases mais avançadas, o paciente não consegue distinguir o quente do frio, estando mais exposto a lesões.

 

Fonte: Nutriservice

 

Alimentação Oncologica - Nutriservice

Alimentação no Paciente Oncológico

Lembre-se que se deseja ganhar ou manter seu peso, a alimentação é o mais importante, e para alcançar o peso desejado, sua colaboração e entusiasmo são fundamentais.

 

Aqui vão algumas dicas de como aumentar as calorias de sua dieta:

 

• Lembre-se que sua dieta deve se fracionada de 2/2 ou 3/3 horas, contendo seis refeições ao dia.

• A apresentação das refeições é importante para abrir o apetite, refeições atraentes, saborosas e variadas ajudam no sucesso da dieta. Utilize temperos e ervas para melhorar o sabor e aroma dos alimentos.

 

LEITE

 

Sempre use leite integral ao invés do leite desnatado, pois o leite integral é mais rico em calorias.

Para aumentar ainda mais o valor calórico do leite, adicione duas ou mais colheres de leite em pó em um copo (300 ml) de leite comum.

Sob orientação de seu nutricionista, acrescente suplementos nutricionais em pó, achocolatados, mel, açúcar mascavo, groselha e cereais como, por exemplo, granola.

Faça milk-shakes ou vitamina com frutas frescas, secas ou em calda.

Use leite integral ao invés de água para preparar sopas, bolos, mingaus, pudins, molhos, pães etc.

 

CARNES

 

Acrescente às carnes molhos preparados com queijo, batatas e legumes de um modo geral.

Prepare caldos de carne e acrescente-os em suas refeições.

Inclua a carne nos recheios de sanduíches, tortas e pães.

 

LEGUMINOSAS

 

Adicione feijão, soja, lentilhas, grão-de-bico e ervilhas em sopas, saladas, tortas, etc.

Utilize mais os grãos do que o caldo quando cozidos em água.

 

SALADAS

 

Inclua nas saladas queijo em cubos, grão-de-bico, nozes, passas, frutas, atum, carnes, torradas, iogurte natural, azeite, maionese e molhos.

Utilize legumes cozidos e refogados em óleo vegetal ou margarina.

 

SOPAS E PURÊS

 

As sopas e purês poderão ser acrescidos de queijo ralado, requeijão, azeite, margarina e torradas.

 

CHANTILLY

 

Use no chocolate ou café.

Utilize nas sobremesas, gelatinas, pudins e coberturas de bolos.

Passe em panquecas e waffles.

Misture com frutas e sorvetes.

 

CREME DE LEITE

 

Adicione no purê, sopas, molhos, suflês, frutas, gelatinas, mousses, pavês e outros.

Use para preparar molhos brancos.

Misture açúcar ou leite condensado e faça recheio e/ou cobertura de bolos.

 

PÃES E BOLACHAS

 

Passe quantidades extras de margarina, maionese, geléias, patês, mel, melado, etc.

 

FRUTAS

 

As frutas podem ser utilizadas das mais variadas formas, em todas as refeições e preparações como, por exemplo, no lanche da tarde ou como sobremesa do almoço e em bolos, tortas, mingaus, leite, iogurtes, etc.

Acrescente a elas leite condensado, creme de leite, mel, açúcar, granola, etc.

As frutas secas e em compota contém mais calorias.

 

LÍQUIDOS

 

Ao invés de ingerir somente água, utilize sucos de frutas naturais adoçados com açúcar ou mel durante todo o dia entre as refeições.

 

Fonte: Nutriservice

Alimentação - Nutriservice

Mitos sobre alimentação

O termo alimentação representa muito a todos nós. É um assunto que todos acreditam conhecer profundamente e que está enraizado de forma tão profunda na cultura e tradição que muitas crenças relacionam os alimentos à saúde ou doenças. Algumas delas são verdadeiras, algumas parcialmente verdadeiras e outras falsas.

 

O profissional de nutrição é capacitado e responsável no esclarecimento de uma alimentação equilibrada separando o mito da realidade (não confundindo o folclore, lendas e crendices aos fatos científicos)

 

Verdadeiro ou Falso na alimentação

 

Beterraba é uma das principais fontes de ferro

FALSO. Os alimentos ricos em ferro são as carnes, os miúdos, as leguminosas (feijão, lentilha, ervilha e grão de bico) e as verduras de folhas verde-escuras (exceto espinafre). A beterraba, assim como outros legumes, contem vitaminas e minerais, mas não é rica em ferro.

 

Espinafre é uma excelente fonte de fero (o mito do Popeye)

FALSO. Já se pensou, anteriormente que o espinafre era uma boa fonte de ferro, porém isso não é verdadeiro pela presença do ácido oxálico, que é um poderoso inibidor da absorção de ferro no organismo.

 

Suco de clorofila serve para aumentar plaquetas

FALSO. Embora seja composto por vários vegetais (cada pessoa elabora de uma forma), esse suco contém várias vitaminas e minerais, mas não aumenta o número de plaquetas.

 

Vitamina C aumenta a absorção de ferro

VERDADEIRO. Ingerir algum alimento rico em vitamina C (laranja, acerola, caju, limão) com as refeições principais, contendo no almoço e jantar uma porção de leguminosa, vegetais e carnes para que assim a absorção do ferro presente nestes alimentos possa ser melhor aproveitada.

 

Não consumir leite, chá, café e refrigerante junto com as refeições principais (almoço e jantar)

VERDADEIRO. Estas bebidas dificultam a absorção do ferro pelo organismo, devido a presença de cálcio e tanino na composição dos mesmos. Portanto, é importante manter um intervalo de pelo menos 1 hora, entre as refeições e o consumo destas.

 

Carne bovina é mais rica em ferro quando está malpassada ou “sangrando”

FALSO. A carne vermelha é fonte de proteína e ferro in natura ou após a cocção pois mantém seus nutrientes. Porém, é importante prepará-la adequadamente e não consumi-la crua ou malpassada, pois aumenta o risco de intoxicação alimentar.

 

Suco de laranja com beringela reduz o colesterol

PARCIALMETE VERDADEIRO. Este suco é efetivo quando associado a uma dieta equilibrada, pobre em gordura saturada (frituras, embutidos, queijos amarelos, doces gordurosos, manteiga e carnes gordas) e atividade física regular.

 

A cerveja, vinho e outras bebidas alcóolicas não são alimentos e por isso não engordam.

FALSO. A única bebida que não engorda é a água. Qualquer álcool que ingerimos é metabolizado imediatamente, mesmo quando as calorias que ele gera rapidamente não são transformadas diretamente em gordura, elas contribuem para a ingestão total de calorias e, assim, aumentam as chances de ganho de peso.

 

O chocolate vicia

PARCIALMENTE VERDADEIRO. Rigorosamente falando, comer chocolate não pode ser descrito como um vício. Entretanto, muitas pessoas sentem um desejo muito forte por chocolate, especialmente as mulheres. Estudos mostraram que, na segunda metade do ciclo menstrual, quando os níveis de estrogênio começam a cair, o chocolate proporciona os precursores para a serotonina, que tem um efeito calmante, e para as endorfinas que regulam o humor.

 

O chá de cogumelo melhora/ fortalece o sangue

FALSO. Ainda não existe nada comprovado cientificamente apesar de pesquisas estarem em andamento.

 

O peixe não pode ser consumido no pós operatório

FALSO. Isso é uma crença antiga. O peixe é um alimento que faz parte do grupo de alimentos construtores, ou seja, ajudam na formação de tecidos, defesa do organismo contra infecções, cicatrização de feridas e cirurgias, fortalecimento dos músculos e funcionamento do cérebro.

 

Fonte: Nutriservice

Carboidratos- Nutriservice

O que são Carboidratos?

Os carboidratos são as principais fontes de energia da alimentação. Durante o processo de digestão, eles são quebrados, onde são transformados em glicose.

 

Existem carboidratos mais apropriados para diabéticos?

 

Para os diabéticos, os carboidratos complexos, como o amido, são os preferidos. São exemplos de alimentos ricos em carboidratos complexos: arroz integral, farinha de trigo integral, milho, centeio, pães, biscoitos e massas integrais. Os demais carboidratos como a mandioca, cará, mandioquinha, arroz branco, pão branco e etc, não estão proibidos, mas devem ser consumidos com mais cuidado e de acordo com a orientação do seu médico ou nutricionista.

 

Fonte: Nutriservice

 

Diabéticos e Hipoglicemia- Nutriservice

Diabéticos e Hipoglicemia

A hipoglicemia acontece quando a dose de insulina e a glicemia no sangue estão em desequilíbrio. Isso pode ser em decorrência de várias situações: excesso de insulina, redução na ingestão de alimentos, aumento da atividade física, atraso na alimentação, redução do consumo dos carboidratos.Durante ou após o exercício físico, existe um risco maior da hipoglicemia acontecer. Se a atividade for se prolongar por mais de uma hora, deve-se fazer um pequeno intervalo para um lanche.

O que fazer quando a hipoglicemia acontece?

 

Em casos de hipoglicemia é sempre aconselhável que se alimente com carboidratos (em torno de 15 gramas), como sucos de frutas, tabletes de glicose, bolachas ou açúcar.

 

Após a recuperação do quadro hipoglicêmico, você deve fazer um lanche ou refeição, para evitar que o problema torne a se repetir em seguida. Deve-se estar atento à hipoglicemia noturna. O médico e o nutricionista devem ajustar a insulina e a alimentação para que isso não aconteça. O consumo de um lanche antes de dormir (ceia) pode auxiliar na prevenção deste problema.

Uma alternativa prática é beber suplementos como Resource Diabetic, Diasip ou Glucerna SR que pode ser usado na ceia ou em lanches ao longo do dia, antes de exercícios físicos, contribuindo para a prevenção da ocorrência da hipoglicemia.

 

Fonte: Nutriservice

Suplementação Oral - Nutriservice

Suplementação Oral

Oferecer um produto que contenha todos os nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais) em quantidade adequada. Pode se apresentar na forma líquida ou pó. Alguns produtos possuem nutrientes específicos para necessidades diferenciadas, de acordo com a doença ou perfil do paciente. Em nosso site, você encontra no link SUPLEMENTOS, algumas sugestões de acordo com a necessidade do paciente:   * hipercalóricos: ( nutridrink, nutren 1,5, ensure, entre outros) * hiperproteicos: (nutren 2,0, nutridrink protein, impact, entre outros) * fibras: (novasource GI control, nutridrink multi fiber, entre outros) * especialidades: ( forticare, impact, novasource renal, nefrodial, entre outros) * diabeticos: ( resource diabetic, diasip, glucerna SR, entre outros)   Fonte: Nutriservice

Fibras Solúveis e Fibras Insolúveis - Nutriservice

Fibras Solúveis e Fibras Insolúveis

FIBRAS SOLÚVEIS

 

São encontradas nas frutas, verduras e leguminosas e propiciam o retardo na absorção de glicose, redução no esvaziamento gástrico (maior saciedade), diminuição dos níveis de colesterol sangüíneo e proteção contra o câncer de intestino.

 

A principal Fibra Solúvel é a pectina, encontrada em frutas (laranja, maçãs), vegetais (cenoura), nos farelos de aveia e nas leguminosas. Esse tipo de fibra é classificada como Solúvel por reter água formando uma estrutura em forma de gel.

 

Ajuda na diminuição do nível de colesterol, prevenindo o aparecimento de doenças cardiovasculares. As dietas ricas em fibras solúveis ajudam no combate à obesidade, já que induzem a uma menor ingestão de alimentos e calorias.

 

Contribui, ainda, para uma diminuição na glicose sangüínea devido à uma redução na absorção dessa substância.

 

FIBRAS INSOLÚVEIS

 

São encontradas nas verduras, farelo de trigo, cereais e grãos integrais e propiciam o aumento do bolo fecal, estímulo ao bom funcionamento intestinal e prevenção de constipação intestinal. Encontradas em todos os alimentos vegetais, sua maior fonte são os grãos de cereais como milho, soja, grão de bico e nas frutas consumidas com a casca como a maçã, pêra e ameixa.

 

As fibras insolúveis ajudam na prevenção de algumas doenças como a constipação e o câncer coloretal. Como a principal função desse tipo de fibra é velocidade do trânsito fecal, ela atua acelerando o movimento do bolo fecal através do intestino. Com isso, também diminui a exposição do cólon a agentes que provocam câncer, fazendo com que dietas ricas em fibras insolúveis atuem prevenindo o aparecimento de câncer nesse local.

 

Vale lembrar que para as fibras cumprirem o seu papel no organismo, é necessária a ingestão de bastante líquido. Recomenda-se pelo menos 1,5 litros de água diariamente.

 

Atenção para os pós 50 anos: a tendência natural é diminuir o consumo de água, o que não deve ocorrer.

 

Por dia, uma pessoa deve ingerir entre 25 e 30 gramas de fibras, solúvel e insolúvel. É importante uma dieta variada, que contenha farelos, aveia, frutas, verduras, legumes, grãos, sementes e pão integral, nas refeições, para alcançar esta quantidade recomendada.

 

Fórmulas industrializadas em pó com fibras:

 

Fiber Mais: Fibra solúvel

 

MF6: Fibra solúvel e insolúvel

 

Fonte: Nutriservice